Exploring Coffee and Cafe Culture in Portugal

Text available in English and Português

When I first visited Portugal I was at a stage in my life when I drank a lot of vanilla lattes, the odd espresso and americano, but mostly vanilla lattes, and when I travelled to Portugal my partner had explained that they didn’t really do vanilla lattes in Portugal, coffee was just coffee. There was at the time, no Costa Coffee in Portugal and the only branches of Starbucks were in Lisbon. When in a branch of Armazém do caffè (the closest thing to a Costa/Starbucks-like café at the time) I ordered what I thought was a vanilla latte, it turned out I’d ordered an iced vanilla latte – close enough. I soon adapted to the Portuguese way of drinking coffee anyway.

Coffee in Portugal

Coffee culture is ingrained in the everyday life, culture and history of Portugal. The Portuguese were crucial actors in expanding the coffee industry into what it is today with Portuguese colonists introducing the coffee plant to Brazil. There isn’t space here to explore the rich history of Portuguese coffee culture, but I will write about this more at some point soon.

Drinking coffee in Portugal is an everyday part of life, with cafés found almost on every street, and espresso being the most common drink.  Coffee is significantly cheaper to drink out of the home, than it is in the UK. An espresso wouldn’t usually cost you more than €1 and in most cases is closer to €0.50. If you ask for a coffee (um café) an espresso is what you’d be served, although there are regional variations for different coffees too. If you were in Porto and wanted an espresso you’d order um cimbalino (named after the La Cimbali espresso machines), while in Lisbon you’d order um bica.

Espresso in Portugal

They have a range of coffees with milk in too – I often have um pingo (an espresso with a dash of milk) or uma meia de leite (around half coffee/half milk – the closest thing I’ve had to a latte). There are actually a wide range of variations of the espresso based drink, some of which are explored on the Salt of Portugal and Emma’s House in Portugal blogs.

Cafés in Portugal are literally everywhere, not just in your retail centres but spread throughout the neighbourhoods too, even in the most remote places. Often cafés will have a branding for the coffee they serve somewhere on the outside such as Delta, Nicola, Sical, Buondi, or Café  Brasileira. These types of traditional Portuguese cafés often have a range of baked goods served there as well. My favourite café in Portugal is just a small café at the base of a block of flats in a residential area. Actually, I don’t really go there for the coffee, I go there for the croissants, freshly baked – one thing you’ll notice in Portuguese cafés is that the range of cakes and pastries usually makes the options from Costa/Starbucks look pathetic (it’s not just about pastel de nata in Portugal)!

The long history of cafés in Portugal means like in many European cities there are some cafés which have a long history:

  • Café Nicola in Lisbon an art deco style which opened in the late 18th century, and to its current location in 1929.
  • Botequim in Lisbon was opened in 1968 by the Portuguese writer Natália Correia.
  • A Brasileria in Lisbon opened in 1905, and is famous for being frequented the Portuguese Poet Fernando Pessoa.
  • Café Guarany in Porto, opened in 1933 (and underwent restoration in 1994), and according to the website was known as the musicians coffee shop. In addition to the food and drink, they do hold music events including traditional Fado music.
  • Café Progresso in Porto was founded in the early 19th century.
  • Café Majestic in Porto, opened in 1921 and is considered one of the most beautiful cafes in the world. Opened in 1921.

This slideshow requires JavaScript.

When I first started to look for cafés to visit in Portugal, most of the ‘top cafés in Porto/Lisbon’ would feature these kinds of cafés which were important landmarks in the city. However, things have started to change, with the emergence of a wider range of café types becoming popular particularly in the larger cities.

These two lists of cafés that are ‘good to read in’ feature quite a few interesting spots:

Starbucks have around 10 branches around the Lisbon region, while Costa Coffee have a couple of branches around Porto and the Algarve. The coffee shop chain in Portugal I found the closest to these types of coffee shops was Armazém do caffè which has branches across a broader spread of the country, compared to the other chains (see below).Coffee Shops in Portugal

Then in one of my last trips to Porto I discovered Moustache near Clérigos Porto which seemed much closer to the Starbucks type of coffee experience than in many Portuguese cafés. The menu includes the range of coffees plus Frappuccino type drinks, as well as a range of baked goods, including natas, of course! The coffee I’ve had here though is definitely better than most chain coffee shops I have been to and what I liked about this place was that it sought to engage with its community in different ways, holding various events in the café space.

The concept of working in cafés is not new, however with the rise of more freelance work and the ‘gig economy’ many people are turning to cafés as places to work from. I have written a bit about working and co-working in cafes from a UK context, but even in Portugal it has been acknowledged that there is a demand for places for people to work from outside of the office. Portoalities provides a guide to the best cafes to work from in Porto (and if you’re interested a list of co-working offices too).

Specialty Coffee in Portugal

There are a growing range of cafés in Portugal, with more independent cafés and specialty coffee shops that focus not only on the type of food and drink they serve, but the aesthetic of the café too. It’s not until recently that specialty coffee shops have made much of an appearance, but the specialty coffee scene does seem to be gathering pace. Brian from Brian’s Coffee Spot visited last year and tried out some of Porto’s new additions including BOP and Mesa 325 in Porto:

  • BOP a café bar where there is a brew bar, and the coffee used is from Vernazza. More than a place which focuses on coffee, it also has a passion for music and there are record players for you to listen to the large collection of LP’s they have behind the counter. They also have a pretty good menu if you’re looking for food too!
  • Mesa 325, who also use Vernazza, and in addition to the brew methods for making coffee also serve Vietnamese coffee which I don’t think I’ve seen anywhere else in cafés in Porto.

This slideshow requires JavaScript.

These are both excellent examples of the new types of coffee shops appearing in Portugal, but the specialty coffee presence in Porto goes well beyond these two places. Oporto Cool explores 12 cafés which provide more than a place to get your espresso hit – from the specialty coffee shops that focuses on brunch and cocktails too (Zenith), to the ‘coffee garden’ combining specialty coffee and health food (Noshi Coffee) which opened this year. Fraulein Anker has written a Porto Hipster coffee guide too.

There’s plenty of activity too in the capital city Lisbon with the Copenhagen Coffee Lab being one of the best known specialty coffee spots in the city bringing a bit of Nordic coffee culture to the city. There is also Fábrica Coffee Roasters a café and roaster, now with two outlets and according to their website a coffee truck coming soon. Like Porto, more specialty coffee shops are emerging such as WISH slow coffee house and Montana Lisboa as highlighted by Matous Vins on European Coffee Trip.

And in Lisbon the combination for coffee and cycling that we’ve seen here in the UK has a presence too in the  BI-CA Sandwich Cafe, where you can also hire bicycles here (in Porto for a combination of bicycles and coffee there is the Urban Cicle Café).

Following the trend of having coffee shops in flagship stores as has been seen recently in London and other major cities (e.g. the pop up coffee bar by Has Bean roaster in the clothing store UniQlo), The Feeting Room, a footwear and clothing store in Porto now has its own coffee shop. ‘The Coffee Room’, located on the top floor  is a specialty coffee shop dedicated to third wave coffee culture, which serves coffee (single origin Guatemalan from a roaster in Porto according to this article from Evasoes), and panoramic views of the city.

In terms of following other coffee trends, it appears that Portugal has also taken on the coffee in a cone concept in a series of Delta Q stores in Lisbon and Porto.

The majority of these new cafés that are embracing specialty coffee, or a more third wave style of coffee shop tend to be in the city centre, targeting young urban audiences and tourists too. It will be interesting to see if these start to spread out into some of the neighbourhoods too over time.

An exception to this at the minute would be Combi Coffee which is actually a coffee truck which can be found in various locations, but often near the beaches of Espinho, just south of Porto. This article from the Coffee Universe suggests they will have a coffee shop in Porto at some point soon as well. Here the founder of Combi Coffee explains: “Portugal is a place where coffee and espresso are synonyms, so all the Portuguese care about is a full bodied creamy espresso shot regardless of the origin or variety of the coffee beans. We are actively trying to change that. Slowly but steadily.” (Coffee Universe, 2016)

In my research I’m interested in all types of cafes, from the historical landmarks of the city, the traditional corner neighbourhood café bakery, to the specialty coffee shops.  It would be interesting at some point to map the different types of cafés in Portugal to see the extent of the café into Portuguese communities, and how these differ across the country.

If you know of a café in Portugal that you find is an important place or interesting space, then do get in touch.

Coffee Roasters

Roasting coffee in Portugal is not a new concept, the large coffee companies such as  Delta or Sical have been present for decades, but specialty coffee roasters are more scarce. Although much like the specialty coffee shops, more roasters are emerging too. I’ve already mentioned Fabrica Coffee Roasters in Lisbon but a couple of others worth exploring too are:

  • Vernazza Coffee Roasters, based in Maia and established in 2015, now has coffee in many of the emerging specialty coffee spots around Porto as well as restaurants too. The owner of Vernazza recognises that specialty coffee is not yet a widespread commodity in Portugal yet: it’s part of our strategy to be a specialty coffee, and to be placed together with nice things and places, where there is the concern with the detail; we know we are not a coffee for the masses . According to this article Vernazza hopes to have its own café in Porto at some point.
  • Luso Coffee Roasters based just south of Porto, has a range of coffees including the Viriato Blend which is roasted to ‘have the notes of a traditional Portuguese espresso’. I wonder if this could be the way to entice more Portuguese consumers to specialty coffee? In an article from the Coffee Universe the founder of Luso Coffee Roasters acknowledges the barriers for the specialty coffee market in Portugal, in particular the price of coffee, but highlights that increased tourism is providing opportunities to open new cafés and there is a rising curiosity about specialty coffee.

Portugal is a country with a long coffee history, and the café has, and remains to be, an important place in communities across the country. But like many other countries, the coffee culture is changing, and with it the emergence of different types of cafés, and coffee businesses are emerging. As has been noted by the Perfect Daily Grind Portugal is ‘embracing third wave culture with enthusiasm and vigor’ but will Portugal ultimately see a widespread shift from its traditional espresso culture, or will the specialty coffee remain a niche market catering to young urbanites and tourists? Only time will tell and from a research perspective, it’s fascinating to explore. If you know of a new or interesting café or coffee roaster in Portugal that I haven’t mentioned here, please do get in touch.

Porto

______________________________________________________________

A cultura de café em Portugal

Quando visitei Portugal pela primeira vez estava numa fase da minha vida em que bebia bastantes lattes de baunilha, e talvez um café expresso ou um americano de vez em quando. O meu marido (e cúmplice nestas coisas do café) nunca me tinha explicado que em Portugal não se bebiam lattes de baunilha, e o que os portugueses normalmente apenas pedem ‘café’ – o tradicional expresso. Nessa altura o Costa Coffee ainda não tinha aberto em Portugal, e os poucos Starbucks em existência estavam em Lisboa. A determinada altura visitamos um Armazém do Caffè (uma cadeia de cafés local, e o mais parecido com um Costa/Starbucks que encontrámos), pedi o que eu pensei que era um latte de baunilha; subsequentemente, percebi que tinha encomendado um iced latte de baunilha – bastante bom, mas não o que eu estava a pensar. Seja como for, eventualmente acabei por me adaptar à maneira portuguesa de beber café.

Café em Portugal

A cultura do café está enraizada no quotidiano, na cultura e na história de Portugal. Os portugueses tiveram um papel crucial na expansão da indústria do café, por exemplo através da introdução da planta de café no Brasil por colonos portugueses. Não há espaço neste post para explorar a rica história da cultura do café português, mas espero escrever sobre o tema em breve.

Beber café em Portugal é uma atividade cotidiana, com cafés independentes praticamente em todas as ruas. Como já referi, o café expresso é a bebida mais comum. Tomar café fora da casa é significativamente mais barato do que no Reino Unido. Um café expresso raramente custa mais do que €1, e na maioria dos casos o preço ronda os €0,50. Se pedir um ‘café’, ser-lhe-á servido um espresso, embora existam variações regionais na linguagem. Em Lisboa, um café expresso também é conhecido como uma bica, enquanto no Porto o mesmo café é um cimbalino (que obtém o nome das máquinas de café expresso La Cimbali). Pedir uma bica no Porto, ou um cimbalino em Lisboa, tende a provocar sorrisos ou um franzir de sobrolho bem-humorado.

Para além do expresso, os portugueses também têm tomam uma variedade de cafés com leite. Eu frequentemente peço um pingo (um expresso com um pouco de leite) ou uma meia de leite (metade café/metade leite – e o mais próximo de um latte que encontrei). Na verdade, há uma grande variedade de variações da bebida à base de espresso, algumas das quais são exploradas nos blogs do Sal de Portugal e da Casa de Emma em Portugal.

Os cafés em Portugal estão por toda parte, não apenas em zonas comerciais, mas espalhados pelos bairros, mesmo nos lugares mais remotos. Frequentemente os cafés publicitam a marca de café que servem no exterior – marcas como Delta, Nicola, Sical, Buondi, ou Café Brasileira. Estes cafés tradicionais portugueses também tendem a servir uma variedade de produtos de confeitaria. O meu café favorito em Portugal é um pequeno lugar na piso inferior de um bloco de apartamentos, numa área residencial. Para ser honesta, eu não vou lá pelo café em si, mas sim pelos croissants acabados de sair do forno! ​​Uma coisa que se nota nos cafés portugueses é que a variedade de bolos e doces geralmente faz as opções de Costa/Starbucks parecer patéticas (e não é apenas pelos pastéis de nata!)

A longa história dos cafés em Portugal significa que, como em muitas cidades europeias, há alguns cafés que têm uma longa história:

  • O Café Nicola em Lisboa, num estilo art deco, que abriu no final do século XVIII, e está na localização actual desde 1929.
  • O Botequim em Lisboa, inaugurado em 1968 pela escritora portuguesa Natália Correia.
  • A Brasileira em Lisboa, que abriu em 1905 e é famoso por ter sido o cafe de escolha do poeta Fernando Pessoa.
  • O Café Guarany no Porto, inaugurado em 1933 (e submetido a restauro em 1994), e que era conhecido como o café dos músicos. Além da comida e bebida, o Guarany organiza concertos, incluindo de Fado.
  • O Café Progresso, no Porto, fundado no início do século XIX.
  • O Café Majestic no Porto, inaugurado em 1921 e considerado um dos mais belos cafés do mundo.

Quando comecei a procurar cafés para visitar em Portugal, a maior parte dos guias dos “melhores cafés do Porto/Lisboa” apontam para este tipo de locais, que constituíram marcos importantes nas respectivas cidades. No entanto, tem surgido uma variedade de tipos de café, especialmente nas grandes cidades. Por exemplo, aqui estão duas listas de cafés que são “bons para ler”:

A Starbucks tem cerca de 10 filiais na região de Lisboa, enquanto o Costa Coffee tem um par de filiais no Porto e no Algarve. A cadeia de cafés em Portugal que mais se parece com estes é o Armazém do Caffè, que tem filiais espalhadas pelo (ver abaixo).

Numa das minhas últimas visitas ao Porto descobri o café Moustache perto dos Clérigos, que proporciona uma experiência mais semelhante a um Starbucks do que a maior parte do cafés portugueses. A oferta do Moustache inclui uma variedade de bebidas de cafés como Frappuccinos, bem como pastelaria – incluindo natas, obviamente! O café em si é definitivamente melhor do que na maioria das cadeia de café que tenho visitado, mas o que eu gostei sobre este lugar foi que procura envolver a comunidade de várias formas, realizando vários eventos no espaço do café.

O conceito de trabalhar em cafés não é novo, mas o crescimento de trabalho freelance e da “economia gig” significa que muitas pessoas estão a gravitar para os cafés como espaços onde trabalhar. Tenho escrito um pouco sobre o trabalho e co-trabalho em cafés no contexto do Reino Unido, e em Portugal também tem sido reconhecido que há procura por lugares onde se possa trabalhar fora do escritório. A Portoalities fornece um guia dos melhores cafés para trabalhar no Porto (bem como uma lista de espaços co-trabalho).

Café especializado em Portugal

Verifica-se um crescimento na variedade de cafés em Portugal, com mais cafés independentes e cafés que se concentram não apenas na comida e bebida que servem, mas também na estética do café. O café de especialidade só recentemente começou a penetrar no mercado portugues, mas este nicho parece estar em crescimento. O Brian, do Brian’s Coffee Spot visitou o Porto recentemente e experimentou algumas das novas ofertas na cidade, incluindo BOP e Mesa 325:

  • O BOP é um café e bar equipado com um brew bar, que serve café Vernazza. Mais do que um lugar que se concentra no café, este café também tem uma paixão pela música. Tem também um bom menu para quem procura algo para comer!
  • O Mesa 325 também serve Vernazza, e além de vários métodos para fazer café também serve café vietnamita, que eu não acho que vi em qualquer outro lugar no Porto.

Estes são dois excelentes exemplos dos novos tipos de cafés que estão a aparecer em Portugal, mas a presença do café especializado no Porto vai muito além destes dois lugares. O site Oporto Cool explorou 12 cafés que proporcionam mais do que um local para obter o seu café expresso – desde as lojas de café de especialidade que se servem brunch e cocktails (Zenith), até ao “café jardim” que combina café de especialidade e comida saudável ​​(Noshi Coffee). Fraulein Anker escreveu um guia de café do Porto Hipster.

Há também muita atividade  na capital, Lisboa, onde o Copenhagen Coffee Lab é um dos mais conhecidos cafés de especialidade, trazendo um pouco da cultura de café nórdico à cidade. Há também a Fábrica Coffee Roasters, que combina café e torrefação, possui duas lojas e, de acordo com seu site, uma carrinha de café. Tal como no Porto, estão a surgir mais cafés especializados, como o WISH slow coffee house e o Montana Lisboa, como destaca Matous Vins na European Coffee Trip.

Outra tendência que se observa em Lisboa é a combinação de café e ciclismo, que tambem observamos no Reino Unido. No BI-CA Sandwich Cafe é possível alugar bicicletas (no Porto a combinação de bicicletas e café está no Urban Cicle Café).

Na sequência da tendência de ter cafés em lojas emblemáticas, como tem sido visto recentemente em Londres e outras grandes cidades (por exemplo, o pop up coffee bar da torrefação Has Bean na loja de roupas UniQlo), The Feeting Room, uma loja de calçado e roupa no Porto tem agora o seu próprio café. The Coffee Room é um café de especialidade dedicado à cultura de café de terceira onda, que serve café  de única origem guatemalteca via uma torrefação no Porto (de acordo com este artigo na Evasões), bem como uma vista panorâmica da cidade.

Em termos de outras tendências, parece que Portugal também está a abraçar conceito do café em cone, disponível numa série de lojas Delta Q em Lisboa e Porto.

A maioria destes novos cafés que estão a abraçar o café da especialidade, ou um estilo da terceira onda do café, tendem a estar localizados nos centros urbanos, servindo o público citadino e turistas. Será interessante ver se estes cafés começam a surgir em zonas mais residenciais.

Uma exceção a esta regra é a Combi Café, uma carrinha de café que pode ser encontrada em vários locais, especialmente junto à praia de Espinho, a sul do Porto. Este artigo da Coffee Universe sugere que a Combi vai também abrir um café no Porto. Como o fundador da Combi Coffee explica: “Portugal é um lugar onde café e café expresso são sinônimos, por isso tudo o que os portugueses querem é um espresso cremoso e cheio de corpo, independentemente da origem ou variedade dos grãos de café. Estamos ativamente a tentar mudar isso. Lentamente, mas convictamente.”(Coffee Universe, 2016)

Na minha investigação, estou interessada em todos os tipos de cafés, desde os marcos históricos da cidade, a padaria tradicional, o café do bairro ou da esquina, até aos cafés da especialidade. Seria interessante em algum momento mapear os diferentes tipos de cafés em Portugal para ver a extensão do café em comunidades portuguesas, e como estas diferem ao longo do país.

Se sabe de um café em Portugal que que acha ser um lugar importante ou espaço interessante, por favor não hesite em contactar-me.

Torrefação

A torrefação de café em Portugal não é um conceito novo, e grandes empresas de café como a Delta ou a Sical dominam o mercado há décadas. Contudo, os torrefadores de café de especialidade são mais escassos. Contudo, tal como os café de especialidade, estão a surgir novos torrefactores. Já mencionei o Fábrica Coffee Roasters, em Lisboa, mas há um número de concorrentes nesta área que vale a pena explorar:

  • Vernazza Coffee Roasters, com sede em Maia e estabelecida em 2015, e presente em muitos dos cafés de especialidade que estão a surgir na zona do Porto, bem como em restaurantes. O proprietário da Vernazza reconhece que o café de especialidade ainda não é uma mercadoria generalizada em Portugal: faz parte da nossa estratégia ser um café de especialidade, e localizar-nos junto a coisas e locais agradáveis, onde existe uma preocupação com o detalhe; Sabemos que não somos um café para as massas. De acordo com este artigo, a Vernazza espera abrir o seu próprio café no Porto no futuro.
  • A Luso Coffee Roasters, situada a sul do Porto, produz uma variedade de cafés, incluindo a Viriato Blend, que é torrado para “ter as notas de um espresso tradicional português”. Será esta a forma de atrair mais consumidores portugueses para café de especialidade? Num artigo na Coffee Universe, o fundador da Luso Coffee Roasters reconhece as barreiras para o mercado de café de especialidade em Portugal, em particular o preço do café, mas destaca que o aumento do turismo oferece oportunidades para novos cafés, e que existe uma crescente curiosidade sobre café da especialidade

Portugal é um país com uma longa história do café, onde os cafés são um lugar importante para comunidades em todo o país. Mas, como em muitos outros países, a cultura de café está a mudar, o que leva ao surgimento de diferentes tipos de cafés e empresas de café. Como nota o Perfect Daily Grind, Portugal está “a abraçar a cultura da terceira onda com entusiasmo e vigor”. Será que Portugal irá ver uma mudança generalizada da sua cultura tradicional de café expresso, ou será que o café de especialidade vai continuar a ser um nicho de mercado para jovens urbanos e turistas ? Só o tempo o dirá, e de uma perspectiva de pesquisa, é um tema fascinante. Se souber de um algum café ou torrefação em Portugal novo ou interessante mas não mencionei aqui, por favor entre em contato.

Advertisements
This entry was posted in Cafe Culture, coffee culture, community, Europe, Portugal and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to Exploring Coffee and Cafe Culture in Portugal

  1. Wonderful post about coffee in Portugal!

    Like

  2. cactusjake says:

    Fascinating that everyone seems to be working remotely in cafes. Just a reminder that your work truly does have a global significance. The space is important.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s